Celso Woltzenlogel

Membro da Academia Brasileira de Música, primeiro flautista da Orquestra Sinfônica Nacional (1968-1991), Doutor em Educação pela Faculdade de Educação da UFRJ, Professor Titular da Escola de Música da UFRJ (1971-1996), onde se diplomou com a nota máxima, obteve por concurso o primeiro prêmio “Medalha de Ouro”. Natural de Piracicaba, SP, transferiu-se para o Rio de Janeiro ao vencer o concurso “Jovens Talentos Musicais”, a fim de realizar sua formação musical sob a orientação do notável mestre Moacyr Liserra. Aperfeiçoou-se em Paris com Alain Marion, Jean-Pierre Rampal e Nadia Boulanger e no New England Conservatory of Music, Boston. Em nosso país atuou nas mais importantes salas de concerto como solista e integrante dos conjuntos “Quinteto de sopros Villa-Lobos”, “Ars Barroca”, “Sexteto do Rio”, “Duo Instrumentalis”, “Jazz Clássico do Rio de Janeiro”, Orquestra de Câmara da Rádio MEC e “Flautistas do Rio” (foi fundador de todos esses conjuntos). Além de suas atividades no campo da música clássica, participou intensamente da gravação de trilhas sonoras para o cinema e televisão e nos discos dos maiores nomes da música popular brasileira, como Tom Jobim, Egberto Gismonti, Carlos Lyra, Roberto Menescal, Francis Hime, Chico Buarque, Milton Nascimento, Roberto Carlos, Djavan, Gal Costa, Maria Bethânia, Clara Nunes, entre tantos outros. Coordenou o Projeto Bandas da Funarte desde sua criação em 1976 até 1990, tendo sido um dos grandes incentivadores do aperfeiçoamento dos instrumentos de sopro de fabricação nacional. Seu Método Ilustrado de Flauta (quatro edições publicadas), prefaciado por Jean-Pierre Rampal obteve repercussão internacional. Como conseqüência, tem viajado constantemente para o exterior para ministrar master classes e participar de festivais internacionais de flautistas.
Já se apresentou em Atlanta,Beijing, Buenos Aires, Caracas, Copenhague, Estocolmo, Halifax, Hamburgo, Los Angeles, Lima, Lund, Madri, Malmo, Mendoza, Nice, Orlando, Quito, Santiago do Chile, Slovenia, São Petersburgo , Tuscaloosa eValencia. É o responsável pela etiqueta Ludus da Editora Vitale, onde já publicou dez obras de música brasileira para flauta. Formou uma geração notável de flautistas que têm se destacado nos mais importantes concursos e como integrantes de nossas orquestras sinfônicas. Em agosto de 1994, criou a Associação Brasileira de Flautistas da qual foi o Presidente até 2007. Recebeu importantes condecorações por seu trabalho na área de educação musical. De 1997 a 2003 foi coordenador mundial de marketing das famosas flautas Sankyo.

 

Contact Us